Inglês: Frequently Asked Questions

Português: Perguntas mais Frequentes

 


O que é um protesto? Causas, formas e grandes protestos

Perguntas e respostas sobre o que é um protesto? Quais são os principais motivos deles no Brasil e quais foram os principais na história do Brasil e em outras regiões.

Página Inicial / Política

O que é um protesto?

Um protesto é uma manifestação realizada de forma democrática através da reunião de pessoas descontentes com algo. Protestar é a forma de se demonstrar publicamente sua insatisfação com uma determinada entidade, governo ou ação ocorrida.

O objetivo principal de um protesto é fazer com que o alvo de seu descontentamento mude suas ações. No caso de protesto contra o governo, por exemplo, o objetivo seria de que os governantes revissem suas ações de acordo com o que é reclamado pelo público através deste ato de protesto.

As causas que geram protestos são aquelas que causam revoltas em determinado número de pessoas. Por exemplo, a ação de uma empresa poderia gerar revolta em seus funcionários, gerando assim um protesto por parte destes contra a empresa. Outro exemplo é a ação de um governo que pode gerar descontentamento em parte da população, gerando novos protestos.

Quais são as formas de se realizar um protesto?

A forma mais comum de protesto é a de manifestação pública, na qual as pessoas se reúnem em marchas, passeatas ou greves a fim de demonstrar seu descontentamento com algo. Porém os protestos também podem ser de desobediência civil, onde há bloqueio de tráfego, nudez e realização de gestos obscenos; protestos destrutivos, que são aqueles onde há distúrbios, confusões e possivelmente destruição de patrimônio; ou ainda protestos através de ações diretas, como ocupações e resistência em locais ocupados por manifestantes.

Quais os maiores protestos no Brasil?

Em 1964, pouco antes do início da Ditadura Militar, houve o começo de uma série de manifestações de direita no país todo que ficaram conhecidas como Marcha da Família com Deus pela Liberdade, as quais protestavam contra a ameaça do comunismo e as reformas de base do então presidente João Goulart.

Diretas Já

Um dos maiores protestos da história brasileira foi o movimento intitulado “Diretas Já”, que ocorreu na década de 80. Neste movimento os manifestantes exigiam o direito ao voto direto para a eleição presidencial, demonstrando seu descontentamento com o modo como o presidente era escolhido até então. Os protestos ocorreram durante a Ditadura Militar e contaram com a participação de artistas famosos, políticos da oposição e um número nunca antes visto de brasileiros. O movimento lutava pela aprovação da Emenda Dante de Oliveira, que garantia eleições diretas para presidente. No entanto, a emenda não foi aprovada, não havendo eleições diretas naquele ano. Mas, pelo menos, meses depois, para felicidade do povo, o regime militar acabou, dando fim a décadas de opressão e censura.

Impeachment do presidente Fernando Collor

Houve também o movimento a favor do Impeachment do ex-presidente Fernando Collor, com protestos contra o então presidente do Brasil. O movimento ficou conhecido como “Os caras-pintadas”, pois os jovens manifestantes pintavam o rosto de verde e amarelo nas manifestações. Os motivos vão desde o descontentamento com a inflação até as denúncias de corrupção envolvendo o presidente, o qual realizava transações fraudulentas em nome de um empresário que havia sido tesoureiro de sua campanha.

Primavera Brasileira

Além disso houve os protestos de junho de 2013, no qual milhões de pessoas foram às ruas protestar contra o governo vigente e suas medidas. O movimento, que também ficou conhecido como Primavera Brasileira, em referência à Primavera Árabe, começou em São Paulo com o Movimento Passe Livre. Os protestos iniciaram-se devido ao descontentamento com o aumento do valor da passagem do transporte público da cidade e, em seguida, o movimento foi crescendo e expandindo para todas as capitais do país. Os manifestantes protestavam principalmente contra o enorme investimento do governo em obras de estádios para a Copa do Mundo de 2014, em detrimento dos investimentos em saúde e educação.

Fora Dilma

Em março de 2016, ocorreram protestos no país inteiro contra o governo da então presidente Dilma Rousseff, acusada de ter feito pedaladas fiscais. O que ficou conhecido como “Fora Dilma” exigia o impeachment da então presidenta e obteve sucesso, pois a mesma perdeu o cargo alguns meses depois. Em seguida, com a posse do atual presidente Michel Temer, começou a onda de protestos “Fora Temer”, a qual manifesta-se não só na forma de passeatas em ruas principais das capitais, mas também com pichações nos muros das cidades, colagem de lambe-lambes (cartazes de conteúdo crítico), protestos em redes sociais, como o Facebook e o Twitter, etc.

Primavera Secundarista

Em outubro e novembro de 2016, ocorreu o que ficou conhecido como Primavera Secundarista, que foi uma onda de ocupações de escolas e universidades em protesto à Medida Provisória 746, que tratava da reforma do Ensino Médio, e à Proposta de Emenda à Constituição 55, que tratava do congelamento de investimentos públicos em saúde e educação. A maior parte das ocupações ocorreu no estado do Paraná, onde houve mais de 900 escolas ocupadas, muito provavelmente pelo já enorme descontentamento dos secundaristas com o governador Beto Richa, mas houve também várias outras ocupações nos demais estados. Infelizmente, esse protesto não obteve sucesso, visto que tanto a MP 746 quanto a PEC 55 foram aprovadas e estão em vigor.

Como o governo reage às manifestações no Brasil?

As manifestações são muitas vezes reprimidas pelos governos estaduais. Em abril de 2015, por exemplo, os professores da rede estadual de ensino do Paraná faziam protestos, em Curitiba, contra mudanças na Previdência Social, em frente à Assembleia Legislativa, quando o governador Beto Richa autorizou que a Polícia Militar soltasse gás lacrimogêneo, spray de pimenta e balas de borracha nos manifestantes. Mais de 200 pessoas ficaram feridas e a prefeitura virou local de pronto-atendimento.

E fora do Brasil?

Um dos maiores protestos da história, e de grande significado, aconteceu em 1950, na África do Sul, quando Nelson Mandela organizou o movimento antiapartheid contra o governo sul-africano e suas medidas. Também podem ser citados protestos contra os governos autoritários na América do Sul, com o mais recente acontecendo na Venezuela devido às condições precárias no país e descontentamento com os governantes.

Sem dúvidas, o protesto internacional mais marcante dos últimos anos foi a Primavera Árabe, a qual começou no Oriente Médio e no norte do continente africano no fim de 2010, indo até meados de 2012. Houve greves, passeatas e a utilização das redes sociais para fazer críticas aos governos autoritários e repressores daquela região. Inclusive, a maior responsável pela propagação do movimento foi a internet, a qual se tornaria uma ferramenta padrão de diversas outras manifestações ocorridas nos anos seguintes em outros lugares do mundo. Como resultado da Primavera Árabe, iniciou-se um período de instabilidade econômica, política e religiosa muito grande no Oriente Médio, com a eclosão, inclusive, da Guerra da Síria no início de 2011, a qual dura até hoje (já são mais de 6 anos de guerra).



 
 

Veja também

 


© 2017   |   FAQ: Perguntas e Respostas Frequentes